Deputado apresenta projeto que beneficia escolinhas esportivas na Bahia

O deputado estadual Roberto Carlos (PDT) apresentou um projeto de lei para facilitar o financiamento de escolinhas esportivas voltadas para crianças e adolescentes em período de iniciação e formação atlética. Chamado de programa Bahia Atleta e Bolsa Escola Esportiva, ele foi protocolado e será encaminhado para análise das comissões. A previsão é que seja votado no final deste ano. (mais…)

Coração é impresso em 3D em Israel a partir de tecido humano

Cientistas da Universidade de Tel Aviv, em Jerusalém, apresentaram um coração vivo feito a partir de tecido humano com uma impressora 3D.

O estudo, publicado na revista Advanced Science, abre caminho para a realização de transplantes sem risco de rejeição, já que o órgão é feito com células do próprio paciente. (mais…)





Ossada humana é encontrada no bairro Conveima 1.

Na manhã desta terça-feira, dia 16 de Abril, a Polícia Militar foi acionada para averiguar uma denúncia de uma ossada humana localizada em um terreno no bairro Conveima 1.O dono está construindo no local e ao abrir uma sapata pra fazer o alicerce,localizou esses restos mortais,rapidamente ele acionou a polícia.

A polícia técnica também se deslocou até o local pra fazer o levantamento cadavérico.





Contra a violência: Aplicativo incentiva mulheres a denunciar casos de feminicídio.

O aumento no número de feminicídios no estado da Bahia nos últimos anos causou preocupação em dois ex-estudantes de uma escola da rede pública estadual, em Salvador, que se uniram para criar um aplicativo com o objetivo de incentivar mulheres a denunciar casos de violência. De acordo com o G1, a ferramenta, batizada de ‘Conscientizando’, está disponível para celulares com o sistema Android. Os idealizadores são Alan Robert do Carmo, de 18 anos, e Carlos Eduardo Soares, de 19. Os estudantes dizem que não houve na família deles nenhum registro de violência, mas que se mobilizaram pela quantidade casos que viram nos jornais nos últimos tempos. Ele e Carlos tiveram a ideia de criar o aplicativo quando cursavam o 3º ano do ensino médio no Colégio Estadual Sete de Setembro, no bairro de Paripe, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. Eles se conheceram na própria escola. Eram de salas diferentes, mas viraram amigos. O app idealizado pelos dois completou um ano de existência em março deste ano.